Ir para o conteúdo principal

China Brasil Futebol

  1. Histórias da China >
  2. Paulinho tem razão. Por isso criamos o China Brasil Futebol.

Paulinho tem razão. Por isso criamos o China Brasil Futebol.

Meio-campo da Seleção critica os que só se preocupam com o dinheiro do futebol chinês

Titular de Tite na Seleção Brasileira. Titular de Felipão no Guangzhou Evergrande. Autor do gol do título do Campeonato Chinês e da Copa da China em 2016. Além de campeão da América e do Mundo pelo Corinthians em 2012. Credenciais e prestígio não faltam a Paulinho.

Hoje, em entrevista ao jornal “O Jogo” de Portugal, o atleta desabafou: “só falam sobre o dinheiro, ninguém vê o futebol chinês”.

Paulinho está coberto de razão. Por isso, foi criado o China Brasil Futebol. Afinal, são muitas perguntas a serem respondidas. Entre elas:

O que de fato a China deseja ao querer se tornar uma potência futebolística?

É possível a China desenvolver e possuir uma das ligas mais competitivas do mundo?

Por que a China e a Alemanha estão conveniadas oficialmente, a nível de Estado, para fomentar o futebol no país oriental?

Até quando seguirá esse patamar de investimentos?

Como vivem os brasileiros que jogam na China?

Quais e como são as cidades chinesas com clubes na Super Liga da China?

São infinitas e instigantes questões que não podem ser completamente respondidas desde o Brasil e em apenas uma matéria jornalística. É um processo contínuo e que, indubitavelmente, precisa atravessar o mundo para ser conhecido. Há um universo a ser explorado no maior país do mundo, muito além das cifras.

Muitos gostariam de ir à China e não podem. Outros, simplesmente não querem. Nós topamos o desafio duplo. De ir à China e de dar voz aos atletas. Acompanhar seus treinos diários. Os longos períodos de solidão impostos pela distância da família e dos amigos. A barreira imposta pelo idioma. A amizade que fazem com seus tradutores. Os locais e obras milenares que conhecem. Os bloqueios da internet que dificultam a presença nas redes sociais mais famosas do Ocidente. Os hábitos culinários que adquirem.

Essa gratificante missão não está baseada em rotular os atletas por quanto recebem de salário mensal. Se são bem pagos e valorizados é uma questão de foro privado. Os valores são notícia, é claro. Afinal, não são praticados em lugar nenhum do mundo.

Porém, as histórias da vida real e da disputa esportiva que não são contadas aqui – justamente as que Paulinho reclamou – são a matéria-prima do nosso trabalho.

Talvez você não saiba. Mas os brasileiros são artilheiros há quatro temporadas seguidas na Super Liga da China. Que muitos se adaptaram tão bem que pretendem passar mais tempo no país. Que a China está longe de ser o fim da carreira desses atletas.

“Só pensam em dinheiro, vão encerrar a carreira”

Felizmente quem mais importa, assiste o trabalho dos brasileiros por lá. Tite e sua comissão técnica não apenas assistiram aos jogos, mas chegaram a enviar Matheus Bacci, membro da comissão da Seleção Brasileira, à China observar alguns atletas brasileiros no país asiático, dentre eles Paulinho.

Com o relatório de Matheus e as observações do fisioterapeuta da Seleção Bruno Mazzioti, que coordena o setor no Shandong Luneng – equipe dos brasileiros Gil e Diego Tardelli – Tite teve segurança de convocar Renato Augusto, Gil e o próprio Paulinho para as fases das eliminatórias sulamericanas para a Copa do Mundo 2018.

Assim, na prática, o técnico da Seleção desmentiu uma das “verdades absolutas” do comentarismo esportivo brasileiro.

 

Comentários