Ir para o conteúdo principal

China Brasil Futebol

  1. Notícias >
  2. Associação Chinesa de Futebol divulga novas regras para a Super Liga em 2019

Associação Chinesa de Futebol divulga novas regras para a Super Liga em 2019

Com nenhuma surpresa, mudanças drásticas somente em termos financeiros dos clubes chineses

A Assossiação Chinesa de Futebol (CFA, sigla em inglês) anunciou nesta quinta-feira (20) as novas regras impostas para a próxima temporada nas três principais divisões do futebol do país asiático.

Sem mudanças drásticas em relação a contratação de estrangeiros, as novas imposições foram focadas basicamente na saúde financeira dos clubes, além de limitar o gasto com salários e bônus (conhecido no Brasil como bicho).

Vamos as novas mudanças para 2019:

1) Limite de gastos anuais

As equipes da Super Liga da China terão um teto de investimento anual de 1.2 bilhão de RMB (R$ 670 milhões). Deste valor, apenas 65% podem ser destinados a pagamentos de salários e bônus.

Os investidores também terão um limite de injeção de dinheiros nas equipes. Em clubes da Super Liga esse valor será de 650 milhões de RMB (R$362 milhões) em 2019.

Lembrando que a CFA pune equipes que não cumprem com as ordens da entidade com perda de pontos, rebaixamentos e até exclusão de competições oficiais na China.

É importante reforçar que não existe teto específico para atletas estrangeiros, somente que os clubes precisam respeitar o limite de 65% para salários.


2) Equipes femininas 

Todas as equipes Super Liga deverão a partir de 2019 contar com um time feminino para a disputa da competição nacional.

O Jiangsu Suning e o Changchun Yatai (que não está mais na Super Liga pode ter sido rebaixado) são equipes que já contam com times femininos fortes.


3) Limite salarial para jogadores chineses

Foi definido um teto salarial para jogadores locais de 10 milhões de RMB (R$ 5,58 milhões) anual.
 

Continuação

A regra de que apenas três estrangeiros poderão ser inscritos por partida, e que é necessário ter a mesma quantidade de chineses sub-23 em campo do que os internacionais, continua intocável para 2019.

Quatro estrangeiros podem ser inscritos na Super Liga e um quinto pode ficar na “reserva” e ser integrado caso algum dos que estavam disputando o torneio se machuque e precise ser substituído.
 

Comentários