Ir para o conteúdo principal

China Brasil Futebol

  1. Notícias >
  2. Janela na China fecha com menos transferências que o registrado em 2016

Janela na China fecha com menos transferências que o registrado em 2016

Equipes da Super Liga realizaram 12 contratações na janela que se fechou hoje

Por Leonardo Hartung

O futebol ocidental respira aliviado com o término de mais uma janela de transferências na China. O que já seria motivo de comemoração para muitos ganhou proporções ainda maiores após os 16 clubes da Super Liga da China registrarem apenas 12 contratações no período.

Algumas mudanças já eram esperadas. Sabia-se que o Tianjin Quanjian estava em busca de um atacante, que os sul-coreanos Jang Hyun-Soo e Yoon Bit-Garam deixariam Guangzhou R&F e Yanbian Fude e que equipes em má situação na tabela como Jiangsu Suning, Liaoning e Tianjin Teda iriam se reforçar.

O que não evitou surpresas na janela. Como o retorno de Muriqui ao Guangzhou Evergrande e as chegadas dos espanhóis Mario Suárez e Rúben Castro ao Guizhou Hengfeng Zhicheng.

É bem verdade que as janelas de meio de ano na China não são movimentadas como as de início de temporada. Em meados de 2016 foram realizadas 18 contratações, seis a menos que a janela que se fechou hoje. A janela de meio de ano é curta, bem menor que os 57 dias da janela de início de temporada.

Mas as novas regras aplicadas pela CFA (Associação Chinesa de Futebol) desde o início da atual temporada mudaram completamente o jogo. Podendo-se utilizar apenas três estrangeiros em campo e com as novas taxas de 100% em qualquer contratação estrangeira acima de € 5,9 milhões (R$ 21,9 milhões), transações de alto custo serão bem mais raras daqui para frente.

Apenas três das 12 contratações da janela não foram sem custos: o camaronês Benjmain Moukandjo custou € 5,5 milhões (R$ 20 milhões) aos cofres do Jiangsu, o francês Anthony Modeste custou € 5,7 milhões (R$ 20,8 milhões) ao Quanjian e o espanhol Mario Suárez, que não teve os valores de sua transferência anunciados.

Outras mais poderiam acontecer, se as regras não existissem. O Beijing Guoan anunciou na manhã de hoje (noite na China) que não conseguiu chegar a um acordo financeiro com o Bayer Leverkusen para a contratação do meia esloveno Kevin Kampl.

O momento é de ver como os novos reforços entrarão em campo na Super Liga. E esperar pela janela no início de 2018 para ver como os clubes chineses continuarão convivendo com as regras aplicadas pela CFA. Isso se não vierem novas regulamentações...

 

Comentários