Ir para o conteúdo principal

China Brasil Futebol

  1. Notícias >
  2. Zagueiro Luciano Silva fala ao China Brasil Futebol como é jogar na primeira divisão de Hong Kong

Zagueiro Luciano Silva fala ao China Brasil Futebol como é jogar na primeira divisão de Hong Kong

Jogador de 29 anos defende o líder da atual edição do campeonato

Luciano Silva é zagueiro, tem 29 anos e defende o Yuen Long, time da primeira divisão de Hong Kong. A equipe do brasileiro está na primeira colocação após a primeira rodada do campeonato, que conta com 11 clubes. Dos 73 jogadores estrangeiros que jogam na competição, 23 são brasileiros. O Yuen Long nunca conquistou o título da primeira divisão, vencida em 2015 pelo Eastern AA. O South China, comandado pelo brasileiro Ricardo Rambo, é o maior campeão da competição tendo vencido o campeonato 41 vezes.

Luciano, que já passou por Internacional, Bragantino e Brasil de Pelotas, está em seu segundo ano no Yuen Long. O zagueiro já defendeu outra equipe no país pelo mesmo período e também jogou no futebol do Vietnã. O China Brasil Futebol bateu papo com Luciano para saber como é o futebol de Hong Kong e quais são suas expectativas para disputar mais uma temporada no futebol da região administrativa especial da China. 

Confira a conversa:

Esta será sua quarta temporada em Hong Kong, duas no Hong Kong Rangers e agora mais duas pelo Yuen Long. O que te motivou a jogar no país e como é o futebol de Hong Kong?
Luciano: Minha motivação foi o fato de ser China, um mercado que já estava crescendo e vi aqui uma oportunidade de crescer como atleta.
Eles têm como exemplo o futebol inglês, então as formações táticas são um pouco parecidas, um jogo de muita correria pois o chinês não é forte mas muito rápido.

Como foi sua adaptação ao país? E quais foram suas maiores dificuldades neste processo?
Luciano: No inicio foi difícil se adaptar a treinar em grama sintética, foi algo novo para mim e levei um certo tempo para acostumar, os horários dos treinamentos também foram um pouco complicado pois se treina 11 horas da manhã e às vezes 13:30 da tarde onde o calor é muito forte e chega a queimar os pés.

Antes de jogar em Hong Kong, você defendeu o An Giang, do Vietnã, em 2012, que foi sua primeira experiência fora do Brasil. Como foi essa experiência e como é o futebol vietnamita?
Luciano: Foi uma experiência bem legal mas muito desafiadora, pelo fato de eu não falar inglês e não ter como me comunicar com os companheiros e comissão. A comida foi algo complicado pois é bem diferente do Brasil, uma comida muito temperada e coisas diferentes como carne de cachorro,frango praticamente cru. Foi o lugar que tive mais dificuldade de adaptação mas depois que passei por esse processo com ajuda de dois brasileiros o Jackson e Rodrigo passei a gostar do Vietnã e hoje tenho muitas saudades de lá.

Além do Yuen Long, você jogou também no Hong Kong Rangers. Quais diferenças você vê entre as estruturas de ambas as equipes e entre as duas regiões?
Luciano: O Rangers foi a equipe que me abriu as portas aqui e sou muito grato a eles, mas o Yuen Long tem seu próprio CT de treinamento, ótima academia e estádio próprio. A estrutura é muito boa e mais o fato de ser uma das maiores torcidas do pais.

O Yuen Long vai para sua quarta temporada seguida na primeira divisão de Hong Kong, com um 6º lugar como sua melhor colocação até agora. Quais são as expectativas do clube para a nova temporada?
Luciano: Temporada passada chegamos à final da FA Cup e quase levamos perdendo nos pênaltis. Nessa temporada mudou o treinador e foram contratados bons jogadores, a equipe está mais forte e queremos ser campeão da FA Cup, ficar entre os 3 melhores da liga e brigar por uma vaga na Copa da Ásia.

A temporada 2016/2017 marca a estreia de uma equipe satélite do Guangzhou R&F, time chinês. A entrada do clube do Cantão pode auxiliar no crescimento da liga?
Luciano: Eu acredito que sim, a competição só tem a ganhar por ficar mais forte e os atletas também por ter a oportunidade de mostrar o seu trabalho para um mercado melhor.

Comentários