Ir para o conteúdo principal

China Brasil Futebol

  1. Sobre >
  2. O Futebol Chinês

O Futebol Chinês

Ao começar a acompanhar o futebol chinês várias dúvidas surgem. As barreiras da língua, do fuso horário e da falta de informações são os grande vilões de um maior entendimento dos campeonatos disputados nesse país asiático. Então reunimos nesta parte do Portal algumas das maiores dúvidas e questionamentos para quem quer começar a acompanhar tudo que rola nos campeonatos disputados na China e ficar por dentro de tudo!


  • É verdade que a China aprovou um projeto de lei para desenvolver o futebol no país? Quais objetivos?

    Sim, é verdade. O Plano de Desenvolvimento do Futebol Chinês foi lançado pelo Comitê para a Reforma, uma das principais instituições do regime comunista, o que mostra a grande importância que o esporte tem para o presidente Xi Jinping, torcedor fanático de futebol e grande incentivador do esporte no país. Como metas, o plano traçou que a China deva ser campeã asiática até 2030 e que conquiste uma Copa do Mundo até 2050.

  • Quais são os campeonatos de futebol profissional disputados na China?

    A Super Liga da China/Chinese Super League (primeira divisão), Liga Um da China/China League One (segunda divisão), Liga Dois da China/China League Two (terceira divisão e semi-profissional), Copa da China e Super Copa da China. 

  • Quantas equipes disputam a Super Liga da China, qual a fórmula de disputa e quantos são rebaixados?

    Até 2019, eram 16 equipes em formato de disputa de pontos corridos, com turno e returno. Com duas equipes rebaixadas. Para 2020, são 16 equipes separadas em dois grupos de 8. Os quatro primeiros de cada grupo disputarão o título em outra fase. Os quatro últimos de cada grupos disputarão contra o rebaixamento. O formato, data e local das fases decisivas ainda não foram anunciadas pela Federação Chinesa.

  • Desde quando acontece a Super Liga e quem é o maior campeão?

    Ela acontece desde 2004. O Guangzhou Evergrande, além de ser o atual campeão, é o maior vencedor com oito títulos. Logo atrás vem o Shandong Luneng, com três conquistas. 

  • Por que todos os times da Super Liga usam Nike?

    Em 2011, a Nike acertou um contrato de patrocínio com a Super Liga da China por um período de 10 anos. Assim, a empresa norte-americana não apenas patrocinara a Liga e fornece o material esportivo para todas as equipes. Para efeitos de comparação, é o mesmo que acontece com a Major League Soccer, patrocinada pela Adidas.

  • Quantas equipes disputam a Copa da China e qual é a fórmula de disputa?

    São 64 equipes de todas as divisões do futebol chinês e a disputa é similar à da Copa do Brasil, no formato mata-mata. As equipes da primeira divisão iniciam sua participação na terceira fase da competição. Em 2020, por conta da pandemia do Covid-19, a competição não será disputada.

  • O que é a Super Copa da China e qual o formato de disputa?

    É a partida que marca o início da temporada na China, disputada em jogo único entre os campeões da Super Liga da China e da Copa da China.

    A edição 2017 foi realizada em Chongqing no final de fevereiro. O Guangzhou Evergrande derrotou o Jiangsu Suning por 1x0 e conquistou o tricampeonato do torneio.

  • Quantas vagas para a Liga dos Campeões da Ásia são destinadas a equipes chinesas e quais os critérios de classificação?

    São 4 vagas. A Super Liga da China garante vaga aos 3 primeiros colocados, mas apenas o campeão se classifica para a Fase de Grupos. O vice-campeão e o terceiro colocado vão para as fases qualificatórias da Champions Asiática, disputadas em jogo único. O campeão da Copa da China, assim como o vencedor da Super Liga, garante vaga na Fase de Grupos da Champions.

  • Quais equipes chinesas já conquistaram a Liga dos Campeões da Ásia?

    O Guangzhou Evergrande é o único clube chinês a conquistar o título. Foi campeão em 2013 e 2015, este último sob o comando do brasileiro Luiz Felipe Scolari. É o único clube chinês a disputar o Mundial de Clubes da FIFA.

  • Por que os times chineses só contratam jogadores de linha e não goleiros?

    Desde 2001, ainda antes da criação da Super Liga da China, os times são proibidos pela Federação Chinesa de Futebol de usarem goleiros estrangeiros. A medida visa propiciar condições plenas para a formação de goleiros chineses. 

  • Existe alguma restrição na contratação de treinadores, assim como ocorre com os jogadores?

    Não há regras que restrinjam a presença de treinadores estrangeiros. Na verdade, o futebol chinês busca treinadores estrangeiros de nível mundial para trabalharem no país.

  • Por que os clubes chineses são tão ricos?

    Os clubes da China são comandados por empresas, tanto de iniciativa privada quanto empresas públicas. No nome da maioria dos clubes, inclusive, já está o nome das empresas que os comandam. 
    O Guangzhou Evergrande Taobao, por exemplo, é comandado pelo Evergrande Real Estate Group e pelo Alibaba Group. O Shandong Luneng é comandado pelo Luneng Group. 
    O governo chinês também tem um papel relevante nesse quesito ao conceder isenção fiscal de parte dos valores investidos pelas empresas no futebol e até com aportes financeiros específicos nos clubes ligados a empresas públicas.

  • Então todos os clubes têm nome de empresas?

    Não. O Shanghai Shenhua é uma exceção a essa regra, ao não levar no seu nome a marca da empresa que o controla.

    Para saber de onde os clubes são basta observar a primeira parte dos seus nomes, que levam o nome da cidade ou província onde estão sediados.

  • Até quando a China vai investir tanto dinheiro no futebol?

    A China possui a economia mais dinâmica do mundo, com crescimento ininterrupto e a largos índices há mais de duas décadas. Ao tomar a iniciativa de desenvolver a indústria do futebol no seu país, que possui o maior mercado consumidor do mundo, era natural que o fizessem segundo sua escala de valores, acima da realidade aplicada no futebol em qualquer outro lugar do mundo.
    Contudo, as grandes cifras envolvendo transações e salários já estão sendo analisadas criticamente pelo governo e pela Federação Chinesa, que aumentarem as exigências em prol do desenvolvimento de atletas chineses, através do aumento da quantidade de praticantes do esporte no país, da formação de atletas nas escolas e da estruturação de categorias de base sólidas nos clubes profissionais.

    Assim, não é possível ainda prever exatamente até quando os chineses investirão tanto durante as janelas de transferências internacionais. Contudo, é provável que que a China se estabilize como um dos principais mercados do futebol mundial, num patamar técnico e financeiro superior ao mundo árabe, por exemplo.

  • Qual é a regra atual para a presença de estrangeiros nos elencos e durante os jogos?

    Cada equipe pode ter no máximo 5 jogadores estrangeiros em seu elenco. Mas durante as partidas, são permitido 4 estrangeiros em campo ao mesmo tempo, de qualquer nacionalidade. O outro estrangeiro que ficar na reserva, só pode ser acionado no lugar de outro estrangeiro, para respeitar sempre a regra de 4 em campo.

  • Quantos estrangeiros atualmente jogam na Super Liga da China? Qual país estrangeiro tem mais jogadores?

    Segundo site Transfermarkt são 88 estrangeiros de diversas nacionalidades nos elencos dos 16 clubes da Super Liga da China. O Brasil é o país com o maior número de atletas estrangeiros, num total de 34, o equivalente a 37,8% dos internacionais no futebol da China. Em segundo vem a Coréia do Sul com 5.

  • Há alguma outra regra sobre escalação de jogadores?

    Desde 2017, a Associação Chinesa de Futebol (CFA) passou a exigir a obrigatoriedade de um jogador chinês Sub-23 no time titular das equipes da Super Liga da China. Essa é mais uma medida que visa permitir melhores condições na formação de atletas chineses. E a obrigação de ter no elenco pelo menos 3 atletas com 23 anos ou menos inscritos na Super Liga.

  • Quem é o treinador da Seleção Chinesa?

    O chinês Li Tie, ex-treinador do Wuhan Zall.

  • O que a China tem feito para avançar na formação de jogadores chineses?

    O Plano de Desenvolvimento do Futebol Chinês está implementando o futebol na grade curricular do ensino médio, a construção de 20 mil campos de futebol por todo o país e o intercâmbio de conhecimento com países com futebol altamente desenvolvido. 
    Medidas como a proibição de goleiros estrangeiros e a obrigatoriedade de um titular chinês sub-23 nas equipes da Super Liga da China contribuem com isso.
    Uma das novas exigências da Federação Chinesa, apresentadas no início de 2017, é a obrigatoriedade de que os clubes da Super Liga invistam pelo menos 15% nas categorias de base, mantendo em atividade suas equipes sub-15, sub-17 e sub-19.

  • Como funcionam as novas regras para transferências no futebol chinês?

    Desde de meados de 2017, a Associação Chinesa de Futebol (CFA) estabeleceu um teto para transferências de jogadores estrangeiros e de atletas chinesas. O valor máximo que se poderá pagar por cada contratação de estrangeiro é de € 5,9 milhões (R$ 21,9 milhões), enquanto para contratações de jogadores chineses o valor é de € 2,6 milhões (R$ 9,7 milhões).

    Caso os clubes façam contratações acima do teto serão taxados em 100% e a quantia será destinada à Fundação de Desenvolvimento do Futebol na China, um fundo de investimento para as categorias de base do país e conduzido pela CFA.

    Exemplo: caso uma equipe deseja contratar um jogador por € 20 milhões, esse mesmo clube terá que pagar outros € 20 milhões à CFA.